Meu bem vamos viver a vida



Muitas vezes o coração
Não consegue compreender
O que a mente não faz questão
Nem tem forças pra obedecer
Quantos sonhos já destruí
E deixei escapar das mãos
Se o futuro assim permitir
Não pretendo viver em vão
Meu amor não estamos sós
Tem um mundo a esperar por nós
No infinito do céu azul
Pode ter vida em Marte
Então, vem cá me dá a sua língua
Então vem, eu quero abraçar você
Seu poder vem do sol
Minha medida
Meu bem, vamos viver a vida
Então vem, senão eu vou perder quem sou
Vou querer me mudar para uma life on mars

há coisas soltas em minha cabeça, há sobras em minha geladeira

 ...Deve ser da minha natureza mais ou menos insatisfeita, aliada à minha vontade de experimentar coisas novas que me alegro a dar novas variações as velhas e favoritas manias...

eu  gosto dos pequenos ajustes, das variações quase escondidas que dão novas dimensões aos sabores, aos amores, as amizades, 

gosto de desarticular o já habituado

as pequenas surpresas que esbarram em meu cotidiano não me espantam

e mudam cores, texturas, estações, o fluxo da vida, do rio...

rodamos por ai eu e a Ceci anos 80 que estava abandonada na garagem por 10 anos, ela ganhou um verde primavera novo e eu um sorriso besta na mesma cara de sempre
eu gosto do velhinho renovado, 
um novo remendo no mesmo e útil e usado e amado casaco de tricô 

gosto do mesmo homem com novo perfume
e uma nova receita para garantir frescor em antigos sabores

o quanto houver escondido ainda gosto de descobrir, 
aos poucos, aos poucos...

surpreendo-me feliz em fazer pequenas revelações a velhos amigos

há coisas permanentes eu sei, mas eu gosto de salpica-las com um novo temperogosto do que faz minha alminha vibrar por quase nada

o aconchego de uma nova estação, de um novo caldo na panela,
dormir na mesma cama com um novo edredom, florido, quentinho...

nem quero saber de onde vem as coisas novas que tanto me atraem
sei que o tempo e a distância também  fazem as coisas serem maiores e melhores do que o foram realmente...

vida, essa válvula de escape, esse meu prazer de todo dia

nunca consigo agradecer tudo o que tenho, não faço promessas,
nem peço desculpas pelos imprevistos

desencantos novos me encantam
e minha lista é interminável...

ainda há por aqui um novo horário e ritmo mas não me canso,
e logo tudo mudará novamente

tenho sobras na geladeiras e elas exigem imprevistos, vou lá!