páscoa, pessach, passagem


Momento de liberdade, parece que é este o verdadeiro significado desse feriado.
Que pessach traga a cada um de nós coragem para romper com as prisões impostas e contruídas por nossas "cabeças locas" e nossos sentimentos cheios de amarras.

Que a gente se liberte para o abraço afetuoso e sincero entre amigos,
irmãos, amores, família.
também podemos ser mais doces com a gente mesmo, nossa alminha agradece :)

Curta este momento, sem imposições, sem jogos, sem pequenas torturas
apenas a liberdade de ser aquilo que você mais parece Ser, aquilo que você mais gosta de Ser.

Fernando Pessoa nos lembra:
"Para ser grande, ser inteiro; nada teu exagera ou exclui; ser todo em cada coisa; 
põe quanto és no mínimo que fazes; 
assim em cada lago, a lua toda brilha porque alta vive."

Tu lembra do filme Chocolate com a bela Julliette Binoche e o irreverente Johnny Dep?
então, lembra o quanto foi libertador aquela história do filme?
o quanto os chocolates que ela produzia libertavam as pessoas...
é mais ou menos essa é a ideia, sacou?


passagem, páscoa, pessach doce e libertadora para nós.

as folhas do outono


 meio tempo
meia estação
meio chuva
meio sol
meio frio
meio quente

as folhas de outono começam a cair e lá vem mudança...

outono é a passagem entre estações
  as noites começam a ficar mais longas e os dias mais curtos

e eu?
oscilo como o dia outonal
essa instabilidade me deixa mais perto do outro
e me deixa mais longe também
vem a saudade junto com xícara de chá quente
meio introspectiva
 meio quieta
meio esquisita

e a tua paisagem por ai já mudou? 
e você por dentro?

meio querendo
meio ficando
meio indo

meia no pé
...
outono 
este  meio 
que me prepara para dentro de mim

e a folha cai






e continua a viagem


                              
 é um não querer mais que bem querer,
é solitário andar por entre a gente
é um não contentar-se de contente
é cuidar que se ganha em se perder"
 estou acordado e todos dormem, todos dormem...



delicado momento de atravessar o deserto

coragem
mesmo olhando e nada vendo
ter a absoluta certeza de que é preciso atravessar

ficar parada no meio do deserto não é nada bom...

silêncio, imensidão,
sede
entre dunas o que virá?

neste deserto interior
buscar a fonte escondida
a surpresa embaixo da sombra de uma palmeira

o céu estrelado, a fogueira noturna
e o caminhar (in) finito

o impensável
o ardido

solidão tranquila equilibrando a mente 
olhar pro abismo e vê-lo olhando de volta

não temer, não voltar
pois em tempos de travessia, fatalmente não chegarei a mesma do outro lado

sem dor, sem sofrimento eu penso, que bom!
é chegada a hora de mudar

tocar no imponderável
fazer o corpo tremer
sentir a adrenalina
o tesão
a energia da vida novamente

percebo em tempo que estou apenas na metada
admito agora, que é realmente um deserto
e que só saio dele, caminhando por ele.

pé na areia, vamos lá.


















querido diário


"ando meio desligado eu nem sinto os meus pés no chão..."

não tô
melancólica
chateada
inconformada
com vontade de falar
com medo
ou raiva
nem  triste


não tô
puta da vida
prozaica
burguesa
arrependida
sóbria
gentil
apaixonada
arrogante
sábia

não tô
fofa
faminta
emocionada
fatal
desinteressada
curiosa
teimosa
atenta
cruel

não tô
alienada
confiável
inútil
malvada
boa
impressionada
desonesta
tolerante

eu não tô
fácil 

eu não tô 
dando 
conta 
de 
nada