compartilhando uma receita de bolo



2013 mais tranquilo pra você.
Bateu três gemas de ovos graúdos com as 2 medidas de açúcar, até que se formou um creme tão iluminado, parecia feito de raio de sol;  misturava devagar a colher cheia de manteiga,  brilhante e amarelinha. Aos poucos as 3  xícaras de farinha de trigo foram peneiradas, uma fina nuvem a juntar-se com o creme.
Massa fofa, pediu 1 copo de leite fresco e gordo; hora de colocar as claras, picos de neve cheios de leveza misturados à tigela, a colher de pau pareceu um remo em movimento no rio mais manso e tranquilo .  Por último o fermento, pôs a colher tão de leve que formaram-se bolhas.
Na assadeira, delicadamente untada e enfarinhada, deitou a massa lentamente. O Forno já estava quente; o bolo foi crescendo e corando e o aroma tomou conta da cozinha. Nada melhor do que esperar assar preparando o café.
Água pura e fresca na caneca posta para aquecer. Escorre do coador cheio de pó, direto para o bule deixando aquela fumacinha cheirosa no ar.
Estava  pronto, assado fofinho, amarelinho, amarelinho; põe no prato uma fatia de bolo e conforto. Xícara de café quentinho.  Sentiu-se de novo em casa, lembrou-se que tinha tempo pra ser feliz, era só querer… aqui

Um comentário:

Rosana Sperotto disse...

Passar receita com tempero de poesia é coisa pra poucos... Lindo! Abração!