gravando, 4,3,2,1




Novembro chega ao fim e eu dei uma volta inteira no calendário. 
Não chorei tá, não fiz mimimi, não pedi colo, nem passaram a mão na minha cabeça, perdi um irmão, ganhei novos amigos, trabalhei arduamente, conheci lugares e pessoas, alguns gostei mais do que outros...
fantasias e devaneios eu não pude carregar, deixei para trás, segui com carga leve. 

Fui forte e determinada neste ano, num caminho verdadeiro e por isso mesmo mais delicado. Sem expectativas e fé na vida e esse foi meu norte.

Aqui e agora estou de cara limpa e coração leve pra para mais um ano.

Pega na minha mão, vem.



é quase novembro



por fora tô igualzinha
mas por dentro...

é quase novembro,
deve ser essa mente monstra abarrotada
ou apenas um tropeço antes do aniversário

sei lá
               sei lá


Não quero o que a cabeça pensa eu quero o que a alma deseja... 

andar caminho errado pela simples alegria de ser.





perfeitamente descombinado






Gosto mesmo é de misturar,
minha timidez com a sua fúria

tua falta de grana 
com a minha gula

teu tempo compassado 
com o meu pensamento distraído

meus pequenos luxos 
com teu quintal de areia

seu humor improvável 
com minha poesia 

meu lenço branco acenando 
com seu abraço apertado


poeminha pra você dormir :) 

By Veia da teia

nada



esse domingo acaba só terça-feira, tirei uns dias de descanço.

só quero pensar bobagens e falar besteira. vai passar.

quero sol.

um dia, a minha ideia sobre o amor será uma cama quentinha na hora de dormir. 
Um, dia meu bem, um dia...

Por que Sim!

agora que você está morando tão longe...
e não fica cansativo esse ir e vir?

e a estrada? é tão perigosa...
e a casa em Bombinhas como fica?

lá é lindo, mas não tem mais nada... 
(oi?)

por que você não...
vende
troca
aluga
passa pra frente

Porque este é o meu canto no mundo e até que outro se apresente eu vou cuidando desse meu refúgio de equiíbrio com carinho e com prazer no tempo que posso.











Gratidão


Café da manhã, saúde e gratidão.
Agradecer é um ato educado, gratidão é um sentimento que enche o coração de alegria, eleva a qualidade do dia e das relações.

Sutilmente seguimos.

Saber Fazer




O que precisa, sem questionar muito.
 O que se quer, com vontade.
O que é urgente, com coragem.
O que é importante, sem sofrer.
E o não fazer, sem culpa.



sutilezas do fazer
rapidinhas mais intensas
brindar

insight - intuição - percepção - sobrenatural - místico



...aquela voz que GRITA LOUCAMENTE pra mim e que tenta chamar minha atenção de todas as formas mas eu na minha densidade não ouço.

eu em meio a uma multidão, dentro de um shopping, aquele falatório, o vai e vem das pessoas, todos os assuntos, os não resolvidos os mal resolvidos na mente ao mesmo tempo (essa é minha mente),

de repente ao longe, alguém começa a falar comigo, sussurrando... essa é minha intuição, mas eu  claro que não escuto nada...

As informações que recebo no meu cérebro consciente, são em geral gritadas, a mente é assim mesmo, ela grita, impõe, manda. Já as informações intuitivas são sussurradas, com muita calma e paz, tranquilidade e equilíbrio.

Daí o ponto crítico.
 é preciso que eu acalme minha mente para não repetir como um mantra a famosa frase:
- Eu devia ter ouvido aquela voz. Eu devia ter ouvido aquela voz e não ouvi.

sobrenatural? místico? espiritual, intuição?

Sim e não.
Acredito que intuição é a nossa vida, o nosso cotidiano e dever ser natural, ativar os sentidos faz tão parte da vida, quanto comer, dormir...
é um refinamento de nossas capacidades mais sutis sim, que criam nossas percepções que interpretam coisas que podem vir acontecer, determinam novos caminhos, é como sintonizar uma música numa rádio... os ruídos somem e fica a música fica leve, boa no ar...

Sem muito segredo, sem rituais, regras ou métodos, apenas silenciar um pouco a mente...tentar relaxar, não disputar a última palavra,  fazer uma oração em silêncio, um copo d'água bebido lentamente e de olhos fechados,
no banho, água lavando tudo, tranquilidade, músculo relaxado,
ouvir a histórias de alguém até o fim sem interromper...

intuição não é mágica, truque, não ilude o cérebro, ela faz parte da natureza humana.

Sim, eu quero a minha de volta.


quer saber mais?



a vida não para...


superando os dias tristes e confusos
com uma taça de vinho, comida reconfortante e procurando um ninho em Sampa.

v e r a c i d a d e


verdades mudam
valores não

frigideira quente pão e manteiga
aos poucos eu chego mais perto e fico mais tempo

eu chuto a porta, digo poucas e boas aviso que não volto mais e tals
viro as costas vou embora
mas depois volto rindo
e quero café moído na hora

caretices e carências dou risada na cara delas
molho de tomate bom se faz é mesmo em casa

dô valor pra quem pode dormir mais de 8 horas já o meu sono é uma coisa mais delicada
suco de limão com casca e caldeirada de marisco

então assim ó:
São Paulo me assusta
Vera cidade.









Aki sem culpa nenhuma


eu? 

não tenho nada a ver com essa bagunça que rola por ai, nada a ver com esse mundo hostil que rola nas rédeas virtuais e fora dela...

fico aqui comendo meu mamão com mel no café da manhã, espiando o cacho de banana amadurecer, eu fico quieta olhando os bichos me olhando.

silêncio no deck 
sol entre nuvens 
olhando folhas secas no jardim...



falar com a roseira.
me perdoa? replantei você tantas vezes.









Amigos invisíveis - Fabrício Carpinejar




Os amigos não precisam estar ao lado para justificar a lealdade.
Mandar relatórios do que estão fazendo para mostrar preocupação.
Os amigos são para toda a vida, ainda que não estejam conosco a vida inteira.
Temos o costume de confundir amizade com onipresença e exigimos que as pessoas estejam sempre por perto, de plantão.
Amizade não é dependência, submissão.
Não se têm amigos para concordar na íntegra, mas para revisar os rascunhos e duvidar da letra.
É independência, é respeito, é pedir uma opinião que não seja igual, uma experiência diferente.
Se o amigo desaparece por semanas, imediatamente se conclui que ele ficou chateado por alguma coisa.
Diante de ausências mais longas e severas, cobramos telefonemas e visitas.
E já se está falando mal dele por falta de notícias.
Logo dele que nunca fez nada de errado!
O que é mais importante: a proximidade física ou afetiva?
A proximidade física nem sempre é afetiva.
Amigo pode ser um álibi ou cúmplice ou um bajulador ou um oportunista, ambicionando interesses que não o da simples troca e convívio.
Amigo mesmo demora a ser descoberto.
É a permanência de seus conselhos e apoio que dirão de sua perenidade.
Amigo mesmo modifica a nossa história, chega a nos combater pela verdade e discernimento, supera condicionamentos e conluios.
São capazes de brigar com a gente pelo nosso bem-estar.
Assim como há os amigos imaginários da infância, há os amigos invisíveis na maturidade.
Aqueles que não estão perto podem estar dentro.
Tenho amigos que nunca mais vi, que nunca mais recebi novidades e os valorizo com o frescor de um encontro recente.
Não vou mentir a eles “vamos nos ligar?” num esbarrão de rua.
Muito menos dar desculpas esfarrapadas ao distanciamento.
Eles me ajudaram e não necessitam atualizar o cadastro para que sejam lembrados.
Ou passar em casa todo o final de semana e me convidar para ser padrinho de casamento, dos filhos, dos netos, dos bisnetos.
Caso encontrá-los, haverá a empatia da primeira vez, a empatia da última vez, a empatia incessante de identificação.
Amigos me salvaram da fossa, amigos me salvaram das drogas, amigos me salvaram da inveja, amigos me salvaram da precipitação, amigos me salvaram das brigas, amigos me salvaram de mim.
Os amigos são próprios de fases: da rua, do Ensino Fundamental, do Ensino Médio, da faculdade, do futebol, da poesia, do emprego, da dança, dos cursos de inglês, da capoeira, da academia, do blog. Significativos em cada etapa de formação.
Não estão em nossa frente diariamente, mas estão em nossa personalidade, determinando, de modo imperceptível, as nossas atitudes.
Quantas juras foram feitas em bares a amigos, bêbados e trôpegos?
Amigo é o que fica depois da ressaca.
É glicose no sangue.
A serenidade.


meditação



respirar é troca
 
ar que sai
ar que entra
lentamente
 
é silencio e olhos fechados
 
uma entrega simples
  
um leve toque
no imponderável 

Café Brasil




" A única coisa constante na minha vida é a mudança." 


e pra vocês que dão uma espiada vez em quando por aqui, fica a dica desse ótimo, interessante, debochado, engracado, provocante   podcast: café brasil

 

percebe?

 a vida passa,  

férias passa,

      deixa passar :))) 

 

 

Mas não se perca. 

Não se esqueça. 

Viver bem é a melhor vingança.

 

 

Meu bem vamos viver a vida



Muitas vezes o coração
Não consegue compreender
O que a mente não faz questão
Nem tem forças pra obedecer
Quantos sonhos já destruí
E deixei escapar das mãos
Se o futuro assim permitir
Não pretendo viver em vão
Meu amor não estamos sós
Tem um mundo a esperar por nós
No infinito do céu azul
Pode ter vida em Marte
Então, vem cá me dá a sua língua
Então vem, eu quero abraçar você
Seu poder vem do sol
Minha medida
Meu bem, vamos viver a vida
Então vem, senão eu vou perder quem sou
Vou querer me mudar para uma life on mars

há coisas soltas em minha cabeça, há sobras em minha geladeira

 ...Deve ser da minha natureza mais ou menos insatisfeita, aliada à minha vontade de experimentar coisas novas que me alegro a dar novas variações as velhas e favoritas manias...

eu  gosto dos pequenos ajustes, das variações quase escondidas que dão novas dimensões aos sabores, aos amores, as amizades, 

gosto de desarticular o já habituado

as pequenas surpresas que esbarram em meu cotidiano não me espantam

e mudam cores, texturas, estações, o fluxo da vida, do rio...

rodamos por ai eu e a Ceci anos 80 que estava abandonada na garagem por 10 anos, ela ganhou um verde primavera novo e eu um sorriso besta na mesma cara de sempre
eu gosto do velhinho renovado, 
um novo remendo no mesmo e útil e usado e amado casaco de tricô 

gosto do mesmo homem com novo perfume
e uma nova receita para garantir frescor em antigos sabores

o quanto houver escondido ainda gosto de descobrir, 
aos poucos, aos poucos...

surpreendo-me feliz em fazer pequenas revelações a velhos amigos

há coisas permanentes eu sei, mas eu gosto de salpica-las com um novo temperogosto do que faz minha alminha vibrar por quase nada

o aconchego de uma nova estação, de um novo caldo na panela,
dormir na mesma cama com um novo edredom, florido, quentinho...

nem quero saber de onde vem as coisas novas que tanto me atraem
sei que o tempo e a distância também  fazem as coisas serem maiores e melhores do que o foram realmente...

vida, essa válvula de escape, esse meu prazer de todo dia

nunca consigo agradecer tudo o que tenho, não faço promessas,
nem peço desculpas pelos imprevistos

desencantos novos me encantam
e minha lista é interminável...

ainda há por aqui um novo horário e ritmo mas não me canso,
e logo tudo mudará novamente

tenho sobras na geladeiras e elas exigem imprevistos, vou lá! 

  


 


A minha casa



um pouco de vazio e confusão
mas ainda há flores por lá

"para onde quer que se olhe, 
deve haver algo que nos faça feliz. 
O referido é verdade e dou fé"


precisava!


chegar em meu Mar doce Lar
pela manhã o sol entrando mansamente pela janela do quarto
caminhada na praia
tomar sol deitada na pedra quente olhando esse baita céu azul outonal
fazer geléia no fogão de lenha
dormir e acordar num completo silêncio
colocar  o pão para esfriar no batente da janela da cozinha
ainda de biquini e com o corpo salgado comer peixe assado
e curtir o final de tarde na praia
 pronto
já posso voltar


os dias

sou uma pessoa que agora fica feliz quando chega sexta-feira :(

a pressão da mãe só faz subir e a gente fica com aquele aperto no peito

diluindo venenos é melhor viver em paz

internéte sua chata exigente e necessária 

quandotômaspralaquepracá eu sonho muito

tá complicado ficar online em sp

bife acebolado é um baita fio terra

sono sono sono

minha hortelã secou, horta na janela táfodis

sapatilhas são fofas mas ardem doem

massagem em casa na minha ou na sua












  


palavralida



Perigoso é a gente se aprisionar 
no que nos ensinaram como certo 
nunca mais
 se libertar
correndo o risco
 de não saber viver
 sem
 manual de instruções
 
 (Martha Medeiros)

páscoa, pessach, passagem


Momento de liberdade, parece que é este o verdadeiro significado desse feriado.
Que pessach traga a cada um de nós coragem para romper com as prisões impostas e contruídas por nossas "cabeças locas" e nossos sentimentos cheios de amarras.

Que a gente se liberte para o abraço afetuoso e sincero entre amigos,
irmãos, amores, família.
também podemos ser mais doces com a gente mesmo, nossa alminha agradece :)

Curta este momento, sem imposições, sem jogos, sem pequenas torturas
apenas a liberdade de ser aquilo que você mais parece Ser, aquilo que você mais gosta de Ser.

Fernando Pessoa nos lembra:
"Para ser grande, ser inteiro; nada teu exagera ou exclui; ser todo em cada coisa; 
põe quanto és no mínimo que fazes; 
assim em cada lago, a lua toda brilha porque alta vive."

Tu lembra do filme Chocolate com a bela Julliette Binoche e o irreverente Johnny Dep?
então, lembra o quanto foi libertador aquela história do filme?
o quanto os chocolates que ela produzia libertavam as pessoas...
é mais ou menos essa é a ideia, sacou?


passagem, páscoa, pessach doce e libertadora para nós.

as folhas do outono


 meio tempo
meia estação
meio chuva
meio sol
meio frio
meio quente

as folhas de outono começam a cair e lá vem mudança...

outono é a passagem entre estações
  as noites começam a ficar mais longas e os dias mais curtos

e eu?
oscilo como o dia outonal
essa instabilidade me deixa mais perto do outro
e me deixa mais longe também
vem a saudade junto com xícara de chá quente
meio introspectiva
 meio quieta
meio esquisita

e a tua paisagem por ai já mudou? 
e você por dentro?

meio querendo
meio ficando
meio indo

meia no pé
...
outono 
este  meio 
que me prepara para dentro de mim

e a folha cai






e continua a viagem


                              
 é um não querer mais que bem querer,
é solitário andar por entre a gente
é um não contentar-se de contente
é cuidar que se ganha em se perder"
 estou acordado e todos dormem, todos dormem...



delicado momento de atravessar o deserto

coragem
mesmo olhando e nada vendo
ter a absoluta certeza de que é preciso atravessar

ficar parada no meio do deserto não é nada bom...

silêncio, imensidão,
sede
entre dunas o que virá?

neste deserto interior
buscar a fonte escondida
a surpresa embaixo da sombra de uma palmeira

o céu estrelado, a fogueira noturna
e o caminhar (in) finito

o impensável
o ardido

solidão tranquila equilibrando a mente 
olhar pro abismo e vê-lo olhando de volta

não temer, não voltar
pois em tempos de travessia, fatalmente não chegarei a mesma do outro lado

sem dor, sem sofrimento eu penso, que bom!
é chegada a hora de mudar

tocar no imponderável
fazer o corpo tremer
sentir a adrenalina
o tesão
a energia da vida novamente

percebo em tempo que estou apenas na metada
admito agora, que é realmente um deserto
e que só saio dele, caminhando por ele.

pé na areia, vamos lá.


















querido diário


"ando meio desligado eu nem sinto os meus pés no chão..."

não tô
melancólica
chateada
inconformada
com vontade de falar
com medo
ou raiva
nem  triste


não tô
puta da vida
prozaica
burguesa
arrependida
sóbria
gentil
apaixonada
arrogante
sábia

não tô
fofa
faminta
emocionada
fatal
desinteressada
curiosa
teimosa
atenta
cruel

não tô
alienada
confiável
inútil
malvada
boa
impressionada
desonesta
tolerante

eu não tô
fácil 

eu não tô 
dando 
conta 
de 
nada
 
 
 

   




procurando um livro...

achei uma frase:  


"As pessoas que não se abandonam estão cheias de vontade própria".

 tá bom assim, tem dias que a gente se economiza e ainda sai no lucro :)))

só pra distrair

hoje eu fiz o código QR do blog

Casa na areia

Era uma vez uma casa na areia, 
que era pequena e ficou grande, e que era grande e ficou pequena e depois começou a crescer novamente...

cabia tudo não cabia nada, mas às vezes chegavam 100 pessoas e todos ficam felizes
às vezes era uma casa na areia bem simplinha e só cabia o gato o cachorro e o casal

a primeira parte (andar de baixo) era apenas por um tempo, provisório, as oficinas seriam ali, 
tempo vai, tempo vem, o ali, virou casa na areia de morar
cozinha, lavanderia, 2 quartos, e mais as oficinas.

viajamos,  estudamos, fizemos outros investimentos e sem pressa, adiavamos o quanto podíamos, 
quem já fez obra sabe como é administrar o tempo, dinheiro e paciência para reformas e construções

nos mudamos e o tudo e a casa na areia ficou para o depois e depois e depois 

até que o depois chegou 
e a casa na areia começou a ganhar nova forma, 
quebra parede, faz escada, compra mais porta e mais janela e o que era uma simples casa na areia 
agora começou a crescer e nem sei mais o que virá...
seguimos...



E quando dei por mim, já foi, já era!

frase que ouço as pessoas arranharem como um disco quebrado!
e que em dias tão breves e leves como no mês de janeiro, tento prestar mais atenção.

e porque são leves eles voam no calendário, porque são breves tudo parece escapar. Estou aqui e agora, as voltas com a minha memória, anotações de agenda, prestando atenção em tudo, ouvindo mais e tentando falar pouco.

Eu penso que...  enquanto o momento ainda é de organização, enquanto eu ainda tento conhecer a energia desse novo ano ele vai acontencendo independente e alheio as minhas metas e desafios.

Abre aspas:

Você deve demorar apenas uns 5 minutos para ler este post, um pouco mais um pouco menos depende da sua afinidade comigo e de seu próprio ritmo. E o que são 5 minutos do seu tempo? dizem por ai, que cada vez se tem menos tempo - e paciência - para ler, por isso a solução é fazer revistas, blogs, livros cada vez mais "acelerados" onde o que você lê você interpreta como dá, como bem puder ou quiser e assim metade da informação é passada de ouvido em ouvido... quem conta um conto, aumenta um ponto. No final nem sabemos mais o que é real.

Eu sei que a tal leitura dinâmica ou leitura rápida é o que mais se faz, mesmo sem a menor intenção. Aposto que você já ouviu alguém dizer: é, eu dei uma passada de olhos, eu li algo sobre isso em algum lugar, eu baixei um PDFizinho sobre o assunto, mas não fui muito fundo, não li até o final, ou seja! como diz meu sobrinho #aos5 eu SABU TUDO SIM!


SINTOMAS DE UMA EPIDEMIA. 

Desejo de saber tudo, ouvir tudo, ter todo tipo de informação, mesmo que seja pela metade, compactada, sem nenhum pingo no i.

Aviso aos navegantes dessa embarcação: Eu estou fazendo a mala pra viver um outro tempo, uma outra energia pra esse 2013.

Ficarei adepta ao MOVIMENTO PELA LERDEZA.
Vou com calma, muito calma ( tá, que já me consideram "a pessoa mais tranquila do mundo") 

O tempo está se acelerando mesmo? Mas um dia continua tendo 24 horas, 1 hora vale 60 minutos e, aleluia, cada minuto ainda tem 60 segundos! então, nem tudo está perdido!

Eu que não passarei o ano com a sensação de que não consigo fazer tudo o que quero! Sou amiga do Rei, e tempo não me faltará. 

Gastamos uma pequena fortuna com engenhocas tecnologias que prometeram fazer nosso tempo render mais e continuamos com uma pressa que é inaLcançável. (atenção: a pronúncia desse L é como meu avó fazia impecavelmente levando o L lá pro céu da boca como antigamente) é L mesmo e não U como fazem hoje em dia, obrigada! ass. véia da teia.


continuamos...

Podemos ser localizados em qualquer lugar e a qualquer momento por qualquer pessoa em qualquer rede social praquequi? se na hora que eu convido um amigo pra tomar um café, um simples cafezinho ele tem que consultar a agenda da semana? 

Mensagens instantâneas num simples click de tecla, uma quantidade de informação que eu nunca conseguirei acessar, uns 600 amigos que eu jamais encontrarei pessoalmente...

Doença da Pressa - já existe, sabia?

E os semáforos vermelhos continuam testando nossa paciência, obrigando a gente a frear a cada quarteirão.

E quem disse que apertar as teclas do elevador, duas, quatro, dez vezes vai melhorar a eficiência do elevador? e ainda assim, continuamos a xingar no semáforo, a reclamar do elevador que não chega nunca!!


Aceleração é uma escolha que fazemos, ou não!


Aproveite e vá com calma em 2013.

 

"alguns erros da vida acelerada...

Prejudicar as relações com a família, namorados e amigos por estar muito apressado ou distraído para se envolver profundamente com outras pessoas ----> Eca! desisto de gente pela metade.

Engordar ao comer (rápido) e ao comer qualquer bagulho na esquina

Ter ideias pouco criativas por dar à mente poucas chances de funcionar num modo mais suave, característico de quando relaxamos ----> d i v a g u e, deixa a mente fluir.

parar de ter prazer com a comida, SEXO e hobbies por realizar atividades rápido demais! tsc, tsc, tsc.


Correr tanto com as tarefas profissionais até cometer erros ---> micão!
 

...E algumas dicas para viver devagar

Separe tempo para desligar toda a tecnologia que te cerca – internet, celular, televisão. Aproveite para sentar sozinho com seus pensamentos ----> liga pra mim ou escreve uma carta?! faz uma música, lê um livro.

Observe sua velocidade durante o dia. Por força do hábito fazemos algumas coisas mais rápido do que precisamos ----> somos mecânicos

Deixe buracos na agenda e não preencha todos os momentos do dia com atividade -----> Resista à tentação de fazer mais e mais e tente fazer menos menos :-D

Faça refeições na mesa me vez de ter um prato balançando sobre as pernas em frente à televisão!----> faz muuuuuita diferença

Encontre um hobby que desacelere sua rotina, como pintar, caminhar ou fazer ioga nada! ----> larga tudo vem comigo, no caminho eu te explico. 

Fecha aspas


compartilhando uma receita de bolo



2013 mais tranquilo pra você.
Bateu três gemas de ovos graúdos com as 2 medidas de açúcar, até que se formou um creme tão iluminado, parecia feito de raio de sol;  misturava devagar a colher cheia de manteiga,  brilhante e amarelinha. Aos poucos as 3  xícaras de farinha de trigo foram peneiradas, uma fina nuvem a juntar-se com o creme.
Massa fofa, pediu 1 copo de leite fresco e gordo; hora de colocar as claras, picos de neve cheios de leveza misturados à tigela, a colher de pau pareceu um remo em movimento no rio mais manso e tranquilo .  Por último o fermento, pôs a colher tão de leve que formaram-se bolhas.
Na assadeira, delicadamente untada e enfarinhada, deitou a massa lentamente. O Forno já estava quente; o bolo foi crescendo e corando e o aroma tomou conta da cozinha. Nada melhor do que esperar assar preparando o café.
Água pura e fresca na caneca posta para aquecer. Escorre do coador cheio de pó, direto para o bule deixando aquela fumacinha cheirosa no ar.
Estava  pronto, assado fofinho, amarelinho, amarelinho; põe no prato uma fatia de bolo e conforto. Xícara de café quentinho.  Sentiu-se de novo em casa, lembrou-se que tinha tempo pra ser feliz, era só querer… aqui