e eu só cheguei até a Paulista

Barra Funda. São Paulo, 07/03/2007. FOTO: HÉLVIO ROMERO/AE

paulista não bate papo paulista discursa

paulista não tem jogo de cintura paulista é articulado

paulista não almoça paulista come qualquer coisa ali na esquina

paulista não descansa paulista desopila

paulista não pega um cineminha

paulista vai à uma sessão de cinema 
ver um filme independente com conteúdo alternativo

paulista não é

paulista

está

paulista ama a sexta feira

e esquece do resto do mundo no final de semana

paulista não é afetivo paulista é atencioso

paulista dorme pouco

paulista tem olheiras

Querido tempo, estou fazendo a minha parte: seguindo. Faça a sua: passe

2 comentários:

Vanessa Maurer disse...

Risos... mas é mais pura verdade!
E olha que são palavras de uma paulistana...

Véia da Teia disse...

aquela cousa né Van, a gente pode falar, mas só nós! por que somos filhas de Sampa, é igualquinem falar do irmão, do primo, só pode falar mal se for parente e que outros não se atrevam...

...

e São Paulo tu já sabe, um dia embala a gente pra dormir com cheirinho de talco e noutro dia, puxa o cobertor e empurra da cama :-/