coques e vaidades

gasta um tanto com shampoo, condicionador, hidratação com pantene 3 minutos, escova raquete com cerdas macias que não agride e não quebra o cabelo, pente de madeira de lei de primeira qualidade cuidadosamente selecionada e tratada, super secador de cabelo com Íon Infinit Pro prin(oi?)...

saindo de casa...

pega a bolsa, as chaves, abre a porta do elevador aperta o botão do andar, mira no espelho, faz cara de muxoxo... 
e no instante seguinte, faz um coque ninho de pomba no alto da cabeça, tira um elástico vagabundo e frouxo do pulso, pega dois grampinhos do fundo da bolsa, espeta

e no último segundo antes do elevador chegar na garagem, a gente ainda puxa um fio daqui um fio de lá, passa o elástico, abre um sorrisão e SI acha

vaidade feminina, vai vendo.





cachecol infinito

Esfriou, oba! hora de pegar aquela lã quentinha e enrolar no pescoço.
Comprei esse tecido para fazer uma saia, lá no atelier das  meninas   
mas imagina, errei na conta e sobrou um monte de tecido. Agora a noite me inspirei para fazer um cachecol infinito, um modelo que eu acho bem prático e fácil de fazer, aqui você pode seguir umas dicas, eu fiz um pouco diferente mas o resultado ficou igual. 
Amanhã cedinho já vou circular com ele, eu gosto dessa estação outonal, meio frio, meio sol, as pessoas já circulam por ai enroladas em tecidos, boinas, botas e sair para tomar um café, chocolate quente, uma massa com vinho, pegar uma sessão de cinema é tão gostoso neste tempinho...

(post revisado) para avisar que o cachecol ficou pronto em 20 minutos ;) 

aqui você tem uma dica facinha tb!

uma forma de ver e viver no mundo



"...Assim, qualquer coisa que seja tão valiosa quanto consciência,  você deve começar muito cuidadosamente, e desde o princípio, porque a consciência pode abrir todas as portas dos mistérios da existência, ela pode trazer você ao verdadeiro templo de Deus.
E vá se movendo muito vagarosamente. 
É só ter um pouco de paciência pois a meta a ser alcançada não está muito longe..."

adoro ler osho

segredos de liquidificador

que pequenas, médias e grandes resoluções vão tomando forma dentro e fora...

existe um momento em que sonhos tomam formas sozinhos, quase independentes de você, e ficam tão grandes que já não se pode mais conte-los. 


repare que às vezes e intencionalmente a gente bloqueia, se sacaneia, para que ele não se realize, eu disse intencionalmente? (que é igual = a preguiça, medo, insegurança, falta de....) daí que o sonho vira pesadelo, noites mal dormidas, maquiagem que escondem olheiras, maquiagem que escorre, dias que se arrastam num sem sentido e uma sucessão de equívocos, cuja a existencia a "gente nem suspeita".

e quando a gente acha que está fazendo tudo errado na vida? besteira! não desperdice essa oportunidade de Ouro que você chama de vida de Merda.
são as intenções, os sonhos que se manifestam, que pedem passagem, que gritaaaaaaaaaaam e clamam para vir a tona através do universo de abobrinhas e coisas sem fim e inúteis que a gente nutre a cada dia dentro de si. #eujuro

quando você aparecer parecer estranha muito muito estranha, dentro do mundo que não funciona, essa é a hora da mudança!

e quando a gente pensa que já serviu de trampolim ou bóia pra muita gente, e quando pensa nisso fica se sentindo usada? é tudo bobagem.
pessoas transformam pessoas para o bem e para o mal.

a gente pensa sozinha que... 

nem tudo precisa ser revelado, 
delicioso espaço sagrado, não compartilhado, 

tolerar, respeitar o silêncio e a solidão
silenciar as perguntas e deixar a vida rolar...

intimidade sagrada, particular, reservada, fidelidade silenciosa,

felizmente a gente sabe também que,
não há jardim secreto, tão escondido e encarcerado que não deixe exalar o perfume de suas flores...
então, estamos sós sem estarmos sós?
mas eu vi dois sóis num dia e a vida que ardia sem explicação...




parecer não parece, mas olha...








que eu tô fazendo muita coisa desde que cheguei por essas bandas. Lembra que eu escrevi? procrastinação ZERO? então...
Costurando, dando aula, fazendo aula, consertando, ainda montando o apartamento, (re) conhecendo tantas pessoas, tecendo, achando essa cidade realmente caríssima de se viver, por isso estou  mui criteriosa nas escolhas do que consumir e como consumir. Sabe aquela velha e boa consciência de si, manja?
...
Pra que e por quê? se eu não consigo responder a essas duas perguntas, nem adianta que nada rola... óbvios que continuo meio pancadinha, feliz e solta na vida... mas bem interessada no aqui e agora e portanto no real que a vida tem me proporcionado.

...

todo dia penso: viver aqui tá bom, mas logo mais eu volto pra Santa
São Paulo tem uma pegada que eu amo, mas eu volto pra Santa.
Tem tanta coisa boa pra ver, mas logo eu volto pra Santa, é lá onde o silencio se faz presente, lá onde renasci que é meu verdadeiro lar...

dias de luz, festa do sol...
e lá fui eu ouvir e ver a Sonia Hirsch e padaqui-padila sem frescura e sem muita paciência ela foi dando seu recado... só TABEF.
mas o parque da água branca continua lindo e a feirinha de orgânicos delicia como sempre
...
fiz um salmãozinho na sexta-feira santa, bebi bebi e bebi muitas taças de um vinho verde muito do bão ;)

...

e como São Paulo tá cheio de gente fina, elegante e sincera, (só que ao contrário) eu sigo minha vidinha, por que né... a gente não tem tempo pra empacar, e nem moral pra botar o dedão na cara, então fia, enfia a viola no saco e toca a vida!

...

o filme Xingu

...

a páscoa em família

...