Quem é você?

Não estou, absolutamente, lá onde você está à minha espreita, mas aqui de onde o observo, sorrindo. Ou o quê? Você imagina que, ao escrever, eu sentiria tanta dificuldade e tanto prazer, você acredita que eu teria me obstinado em tal operação, inconsideradamente, se eu não preparasse – com a mão um tanto febril – o labirinto em que me aventurar, deslocar meu desígnio, abrir-lhe subterrâneos, soterrá-lo bem longe dele mesmo, encontrar-lhe saliências que resumam e deformem seu percurso no qual eu venha a perder-me e, finalmente, aparecer diante de quem nunca mais tivesse de reencontrar? Várias pessoas – e, sem dúvida, eu pessoalmente – escrevem por já não terem rosto. Não me perguntem quem eu sou, nem me digam para permanecer o mesmo: essa é uma moral do estado civil que serve de orientação para elaborar nosso documento de identidade. Que ela nos deixe livres no momento em que se trata de escrever”.
Michel Foucault---> Arqueologia do Saber (Forense Universitari):



“Ser catalogado, prisioneiro de um lugar e de uma competência, desfrutando da autoridade que proporciona a agregação dos fiéis a uma disciplina, circunscrito em uma hierarquia dos saberes e das posições, para finalmente usufruir de uma situação estável, era, para Foucault, a própria figura da morte. (...) A identidade imobiliza o gesto de pensar, prestando homenagem a uma ordem. Pensar, pelo contrário, é passar; é questionar essa ordem, surpreender-se pelo fato de sua presença aí, indagar-se sobre o que tornou possível essa situação, procurar – ao percorrer suas paisagens – os vestígios dos movimentos que a formaram, além de descobrir nessas histórias, supostamente jacentes, ‘o modo como e até onde seria possível pensar diferentemente’”.


Agora, minhas respostas sobre quem sou eu não satisfazem ninguém. Porque o melhor e mais honesto que posso oferecer ao meu interlocutor são mais pontos de interrogação. E, definitivamente, pontos de interrogação não são populares. O mundo exige respostas com pontos finais e, de preferência, exclamações peremptórias. 


leia toda matéria aqui
 

manhã de #mimimi tarde sem #mimimi

3:34 pm
Resolvi dar um pé na falta de inpiração, no dia bunda, no aparelho, no tal dente siso, e sai pra vida! sai com tudo, comfort food tôindu! 

Capa, guarda chuva, bem chata mesmo, bem afins de encarar a tal polaridade oscilante que em dias de tédio e desamparo insiste em nos rodear. Nada de ficar em casa ruminando! xô depre.

E, sabe o que encontrei? só bom astral, gente trabalhando feliz, chuva fina, encontros distraídos entre guarda chuvas coloridos na calçada, bate-papo solto, encontrei inspiração no meio do armazém! Rodeada de salames, caixas de tomate italiano, azeites, pastas, barras de sabão, vinhos, cheiro de café moído, gente se tocando, cheiro de vida!!!

"Joy-full life"-----> inspira-me.






o melhor pão ciabatta recém saído do forno, com abobrinha assada, queijo, saladinha e uma taça de vinho de fazer a bochecha vibrar num vermelho lindo!!!

 ----------------------------------------''--------------------------------------------------------------------------
  10: 30 am
desa fios---> falta de inspiração enorme toma conta dos meus dias, nada toma forma nesse meu tear, essa história de ter dentes e ter que tira-los me incomoda muito, aparelho nos dentes me faz sofrer, essa chuva fina e fria me atrapalha os passos, esse cotidiano hoje tá dificil de lidar, tô sem humor pra nada.

DEIXE A VIDA TE DESPENTEAR!!

Hoje aprendi que é preciso deixar que a vida te despenteie.
Por isso decidi aproveitar a vida com mais intensidade...
O mundo é louco, definitivamente louco...
O que é gostoso, engorda. O que é lindo, custa caro.
O Sol que ilumina o teu rosto, enruga.
E o que é realmente bom dessa vida, despenteia...

-Fazer amor, despenteia.
-Rir às gargalhadas, despenteia.
-Viajar, voar, correr, entrar no mar, despenteia...
-Tirar a roupa, despenteia.
-Beijar à pessoa amada, despenteia.
-Brincar despenteia.
-Cantar até ficar sem ar, despenteia.
-Dançar até duvidar se foi boa idéia colocar aqueles saltos gigantes essa noite, deixa seu cabelo irreconhecível...

Então, como sempre, cada vez que nos vejamos
eu vou estar com o cabelo bagunçado…
mas pode ter certeza que estarei passando pelo momento mais feliz da minha vida.

É a lei da vida: sempre vai estar mais despenteada a mulher que decide ir no primeiro carrinho da montanha russa, que aquela que decide não subir
Pode ser que me sinta tentada a ser uma mulher impecável,
toda arrumada por dentro e por fora,
O aviso de páginas amarelas deste mundo exige boa presença:
Arrume o cabelo, coloque, tire, compre, corra, emagreça,
coma coisas saudáveis, caminhe direito, fique séria...
e talvez deveria seguir as instruções, mas
quando vão me dar à ordem de ser feliz?

Por acaso não se dão conta que para ficar bonita
eu tenho que me sentir bonita…
A pessoa mais bonita que posso ser!

O único que realmente importa é que ao me olhar no espelho,
veja a mulher que devo ser.

Por isso, minha recomendação a todas as mulheres:

Entregue-se, Coma coisas gostosas, Beije, Abrace,
dance, apaixone-se, relaxe, Viaje, pule,
durma tarde, acorde cedo, Corra,
Voe, Cante, arrume-se para ficar linda, arrume-se para ficar confortável,
Admire a paisagem, aproveite,
e acima de tudo...

DEIXE A VIDA TE DESPENTEAR!!!!

exercício


natação da sono, da fome e o cloro estraga o cabelo, mas eu adoro!

pedalar dói tudo, muita rampa, muita descida no risco, às vezes a corrente solta, o pneu murcha, o joelho rala, da trabalho mas eu amo!


(imagem daqui)


caminhar pra espantar a preguiça do corpo, pra dar bom astral
e ainda ajuda a secar as gordurinhas :) leia


(eu andando em Balneário Camboriu)



verão, vemnimim!

corpinho, corpão, corpixo, tô nem ai.... quero é sol!

final de semana só meu u-hu!

momento eu com meus botões.
como amei passar o final de semana em Bombinhas, sozinha, sem pressa, dormindo e acordando quando queria, comendo a qualquer hora, tomando sol no jardim, caminhando na praia, atravessando a cidade de bicicleta, assistindo um filme qualquer, relendo trechos de velhos livros, tricotanto aquele mesmo casaco de 2 anos atrás sem a menor pressa de terminar
que prazer e aconchego em minha própria companhia 
silenciosa e tranquila,
cantarolando músicas, conversando com o espelho, lembrando de pessoas e coisas e cheiros, 
banho morno, comida quente, conversas com a peluda ranzinza, desorganizando papéis, lavando roupa, crochetando um mimo, fazendo um patchwork de rendas antigas, visitando amigas, jogando conversa fora, tomando sorvete no trapiche, assistindo lá em Mariscal aquela imensa amarela lua cheia do sábado treze de agosto, 
lembrando do meu pai com carinho, coisa boa que é ser feliz sozinha.

segundona

cebola caramelada no shoyu com mascavo e gengibre, acelga no susto, shitake na manteiga, taça de chileno pra esquentar espantar o bolerão da segunda-feira!

amar é...

Sem que ele perceba, colocar uma pedrinha no bolso da camisa. Só pra garantir que ele num vai sair avoando...

(véia da teia a esposa dedicada de um artista)

fio solto

natação tecelagem caminhada costura massagem música viagem não necessariamente nesta ordem mas é mais ou menos assim que tenho levado esse inverno

filosofia do gato

Sentar ao lado do aquecedor neste primeiro dia do mês de agosto, sem pensar em nada, entregue ao doce sabor de uma xícara de chocolate quente
esticar o corpo longamente, seguir até a janela e, olhar o mundo passando :-}
tranquilidade na alma
desejo apenas, de ser feliz.

e essa preguiça, essa coisa de não fazer nada, sem a menor culpa
sem o pecado religioso.
e como diz o outro;

"preguiça é a virtude dos seres que estão em paz com a vida."

O taoísmo diz que ' "fazer nada", "wu-wei" "é a virtude suprema, o fazer pelo não fazer.
é um modo de viver que consiste em não fazermos nada de «artificial», convencional ou exclusivamente voluntário, e em nos comportarmos sem tentarmos forçar as coisas a serem como desejamos, ou seja, termos uma conduta completamente serena, sem esforço e sem tensão, sem interferência no curso natural dos acontecimentos".


 Feliz Agosto