eu aceito

gosto do desafio, acho interessante quando me substimam.
o risco, dos todos os caminhos é aquele que mais uso

aquilo que não posso ter, aquilo que não me vem com clareza é sempre possibilidade
e assim tudo que não tenho certeza sempre foi mola propunsora

tenho uma amorisade pelas minhas fragilidades, pelos meus pudores, 
que me despertam dum cotidiano óbvio e morno

agradeço

por aquilo que nunca ousei tocar, por tudo que instiga meus sentidos
que faz meu coração acelerar
pelo que me inibe
pelo nó na garganta
pela luz sutil e generosa que vejo em cada dobra escondida

respeito

"Porque eu sou do tamanho daquilo que sinto, que vejo e que faço, não do tamanho que as pessoas me enxergam."

e agora, jose?

A vida é feita de fatos, ação dinamismo, movimento!
...mas eu tô aqui com esse baita cruzamento no meio do peito.

novelo que rola


saudades,


...por onde mesmo começar? hummmm...
te dizendo que a mandala girou novamente e mesmo sabendo que isso pode acontecer em determinados tempos eu ainda não me  acostumei, e você já?


o mesmo frio na barriga, aquela mesma sensação esquisita de saber que a roda gira e tudo em torno também, aquele misto de surpresa e enjôo
mesmo sabendo de todos os sintomas e até vezenquando buscando que essas mudanças aconteçam, eu fico zuada.

gosto da viagem sabe? mas ainda me assusto com o percurso.
queria mesmo você por aqui neste momento.

eu como sempre só querendo salvar minha vida, sem pedir nada, sem querer nada, sem roteiro fixo, apenas querendo viver a minha vida. mas daí tem essa coisa, essa coisa de ideal, de fé, de ser perseverante, diacho! não há descanso pra quem encara a vida real!? 

um gole de vodca.

sei dolorosamente claramente que meus caminhos internos e externos são todos assim bem próximo ao abismo, sei e aceito. 

mas se fosse possível, se desse pra tudo isso de vez em quando acontecer bem a sombra da quaresmeira... entre uma pausa pro descanso e a sua mão na minha.

mãos

"Embora já fosse tarde da noite, eu sentei na minha cama no escuro e massageei minhas mãos. Uma mão cuidava da outra e depois era cuidada. Coloquei muita loção em minhas mãos e massageei dedo por dedo, as palmas, e o dorso da mão. Então minhas mãos massagearam meus pés, devagar e com atenção. Depois massagearam minhas pernas, minhas costas, meu pescoço, minha cabeça, minha face e meus ouvidos. Havia muito carinho e suavidade por parte das minhas mãos! Eu me senti muito grata a elas."


....trecho desse texto longo e delicioso de ler: viver consciente

A gente vai levando

alguém um dia inventou que a gente não poderia ter tudo... hummm, sei.
alguém um dia acreditou? acho que sim.

pelo ângulo que olho hoje, tem sempre alguém em algum lugar do mundo sentindo falta de uma parte de sua vida...
um livro, uma música, uma ideia, um segundo, uma palavra que não disse, uma tarde que poderia se repetir no tempo, uma pessoa, um pedaço de bolo que não comeu, um silêncio que poderia ter feito toda a diferença, hummmm, sei.

mas a gente sabe que viver neste momento suspenso não pode, a vida é pratica e exigente por demais.
só nos resta então, vive-la!

Aqui e agora.

está tudo certo, tudo em paz?!
hummmmm, a gente vai levando.


Vamos fugir, Pr'outro lugar Baby?

e rápido! 
Foi lembrando dessa música e muito afins de fugir do carnaval local com sua música eletrônica bombástica, homens de fralda e mamadeira de vodca na mão, que caimos na melhor trilha com a melhor praia secreta do pedaço! 

Trilha silenciosa e fresca, mergulho com tartaruga, pular de pedras direto pro mar, secar o corpo no trapiche, água e céu azuis...

e depois de um dia bacanudo, voltar pra casa no final do dia sem nenhum trânsito? magavilha!

E foi chegar e fazer um churrasco delícia, pé na grama, queijo coalho, sorvete de coco e abacaxi, por de sol

e ainda continuar cantando...

 Qualquer outro lugar comum
Outro lugar qualquer...

Qualquer outro lugar ao sol
Outro lugar ao sul

céu azul, 
céu azul





nada não...

é que quando a gente fica assim acamada, a gente silência, lê muito, ouve bastante, vontade de falar nenhuma, daí que sobram palavras, quer algumas?


"pra plantar saudade é preciso garantir a esterilidade da semente; o coração num desastre natural de pedra lavada..."