recriando reciclando

Apegada como sou a tudo que faço não consigo jogar nada fora, muito menos tecidos tramados por mim, são únicos. Daí que fica aquele vestido que não deu certo, aquele tecido tramado para uma bolsa que não ficou tão bacana, largados num canto. Tem ainda os restos de urdiduras, franjas, eu guardo tudo. 

Antes de colocar um novo fio no tear, senti que precisava reciclar essa energia parada. E, assim tem sido feito.
De dentro de sacolas, baús,  gavetas, vão saindo pequenas folhas-chaveiros, bolsinhas, passarinhos e uma infinidade de coisas mais que quero dar asas e liberdade hoje.

Um comentário:

Rosana Sperotto disse...

Movimentos parecidos por aqui. Terça com cara de segunda e dia de finalizar um bocado de projetinhos inacabados. Outra forma de por a energia a circular, né? Bom trabalho! Beijo