o processo do fazer e do pensar wabi sabi


Eu sigo o conceito estético-filosófico japonês do "Wabi-sabi" ou seja, uma visão de mundo onde as coisas imperfeitas e incompletas têm beleza própria. Sigo no grupo do flickr já escrevi sobre isto aqui no blog e sigo assim naturalmente no meu trabalho, na minha vida, no meu jeito de ser, aceitando as imperfeições de um jeito simples, orgânico. As palavras wabi e sabi não são de fácil tradução. Wabi pode significar simplicidade rústica, frescor e quietude ou elegância discreta. Meu olhar busca naturalmente a aceitação da transitoriedade, da imperfeição, eu admito o defeito; eu gosto de revelar a história, o desgaste, como sendo um ciclo natural de cada peça que eu teço, costuro, remendo.

Leonard koren resume bem a ideia: “Existe uma rachadura, uma rachadura em tudo. E é assim que a luz consegue entrar”.

(fotos: ramas da palmeira jeribá que podamos em casa, a bolsa feita em tear com seda natural e rústica, sobras e fios soltos, a outra bolsinha de saco de café da república dos camarões, a mana trouxe o café pra gente provar, o café era ruim pacas, mas o saquinho imperdível.)

Um comentário:

Maria Boneca Ateliê disse...

È isso, concordo com vc. A Beleza está na simplicidade...Nos resta ter a sensibilidade de descobri-la.
bjs
Carla
mariabonecaatelie.blogspot.com