de um canto pro outro

Mudei. E caminho que se desvela entre a confusão interna e externa não será preciso que eu revele. O que importa é que de um canto pro outro ainda há beleza. E que se faz neste momento o que é verdadeiro e necessário.



o processo do fazer e do pensar wabi sabi


Eu sigo o conceito estético-filosófico japonês do "Wabi-sabi" ou seja, uma visão de mundo onde as coisas imperfeitas e incompletas têm beleza própria. Sigo no grupo do flickr já escrevi sobre isto aqui no blog e sigo assim naturalmente no meu trabalho, na minha vida, no meu jeito de ser, aceitando as imperfeições de um jeito simples, orgânico. As palavras wabi e sabi não são de fácil tradução. Wabi pode significar simplicidade rústica, frescor e quietude ou elegância discreta. Meu olhar busca naturalmente a aceitação da transitoriedade, da imperfeição, eu admito o defeito; eu gosto de revelar a história, o desgaste, como sendo um ciclo natural de cada peça que eu teço, costuro, remendo.

Leonard koren resume bem a ideia: “Existe uma rachadura, uma rachadura em tudo. E é assim que a luz consegue entrar”.

(fotos: ramas da palmeira jeribá que podamos em casa, a bolsa feita em tear com seda natural e rústica, sobras e fios soltos, a outra bolsinha de saco de café da república dos camarões, a mana trouxe o café pra gente provar, o café era ruim pacas, mas o saquinho imperdível.)

pequena homenagem


"Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é so um dia mais."
Jose Saramago

verde e amarelo

tô nem ai pra copa okay? mas vez por outra, na hora de vestir uma camiseta, ou de botar uma meia, ou ainda de ir pra cozinha, me bate sentimento verde e amarelo, o que eu posso fazer? eu deixo...

Somos cada um de um pano

Somos diferentes, tu e eu.
Tens forma e graça
e a sabedoria de só saber crescer
até dar pé. E não sei onde quero chegar e só sirvo para uma coisa
- que não sei qual é!
 

És de outra pipa e eu de um cripto.
Tu, lipa
Eu, calipto.


Gostas de um som tempestade roque lenha muito heavy
Prefiro o barroco italiano e dos alemães o mais leve.
És vidrada no Lobão eu sou mais albônico.
Tu,fão. Eu,fônico.

És suculenta e selvagem como uma fruta do trópico
Eu já sequei e me resignei como um socialista utópico.
Tu não tens nada de mim eu não tenho nada teu.
Tu,piniquim.
Eu,ropeu.

Gostas daquelas festas que começam mal e terminam pior.
Gosto de graves rituais em que sou pertinente e, ao mesmo tempo, o prior.
Tu és um corpo e eu um vulto, és uma miss, eu um místico.
Tu,multo.
Eu,carístico.

És colorida, um pouco aérea, e só pensas em ti.
Sou meio cinzento, algo rasteiro, e só penso em Pi.
Somos cada um de um pano uma sã e o outro insano.
Tu,cano.
Eu,clidiano.

Dizes na cara o que te vem a cabeça com coragem e ânimo.
Hesito entre duas palavras, escolho uma terceira e no fim digo o sinônimo.
Tu não temes o engano enquanto eu cismo.
Tu,tano.
Eu,femismo.

12 de junho

e 15 anos depois, tô passando o jantar romântico, tô passando o presentinho, quero ficar o dia todo na cama ok? tks, obrigada! fecha a luz apaga a porta e deixa o telefone do sushi delivery no jeito.
... blé blé blé ble, delírios de uma dona de casa, aliás hoje tô delirando muuuuuito.

cinco dias em imersão total nas artes

Para quem respira, transpira ou se inspira na arte, a fórmula é perfeita: cinco dias em imersão total, em um local paradisíaco na Praia de Palmas, para escutar e falar sobre a criação e seus processos, além de produzir obras. Como guias, artistas e curadores que atuam hoje no Brasil e no exterior. Esta é a proposta do 6º Festival de Artes Plásticas que acontece a partir de hoje no Hotel Palmas, em Governador Celso Ramos, distante cerca de 30 quilômetros de Florianópolis.

linke-se: Imersão Artística

e lá vamos nos...

Oi girando!

Oi, na roda gigante

Oi, girando!

   O sorvete é morango
É vermelho!
Oi, girando e a rosa
É vermelha!
Oi girando, girando
É vermelha!
Oi, girando, girando... 






é o quarto que precisa de um tapete novo
o quentão e o pinhão e a roda na festa caipira da comunidade local
o dias típicos de outono, e uma festa no céu
o ponto 
o centro de aglutinação em Itajaí, causa e discussão
a fome de todo dia
a tainha da estação
a alegria de todo dia
a angústia de todo dia
a vibração de todo dia
a monotonia de todo dia
a razão e o porque de todo os dias

Oi, girando...

querido diário

Ontem chegou via sedex um mimo nordestino, enviado pela amiga-virtual, colega de adolescencia... que agora vive sobre o sol quente e o calor nordestino e, que sabendo do meu apreço e amor por Natal/RN me enviou uma caixa com delicada surpresa :)


literatura de cordel poesia popular, rendas de bilro, mandala absoluta! blusinha-cachecol? uia! toalhinha de bilro tão alva, o que posso eu querer mais? 

postais lindos de Natal e do bairro onde ela vive: Praia de Ponta Negra
docinhos "raivinha" Potiguar ❤ quasimorri! 
o véio se atracou com as mariolas e eu com a massinha
(biscoito simples de polvilho, docinho que some na boca, e que combina mesmo com chá!) 

Foi tu-do viu minha linda! me deu saudades do meu pai, me deu vontade de correr pro abraço, me deu saudades de uma terra que eu nem conheço e meu coração de véia se encheu duma ternura tão necessária, tão boa! zóinho até marejou..
E me aguarde, que vou tentar responder a altura!

Lú-Tomoko obrigada por enviar uma caixinha tão mágica.

❤ 



e pra gente seguir a vida e manter o bom humor: literatura de cordel


As novas ignorâncias de Seu Lunga...

A nossa serotenina
o mau humor ele sunga
cuidado caro leitor
você que muita resmunga
pois você pode está com
o espírito de seu lunga

nas minhas "horinhas de descuido"...

eu ando aproveitando tudo! os maracujás que se jogam na grama do meu quintal
os potes de vidro espalhados pelo armário


os últimos raios de luz outonal na fruteira....
um restim de aipim pra fazer pão.

pois é, felicidade se encontra é em horinhas de descuido já dizia Guimarães Rosa.