de comer de lembrar

ontem eu fiz o pão da tia-madrinha :)
a casa se encheu de recordações e cheiros e risos e uma saudade tão boa de mim mesma, de uma menina que vivia grudada na barra da madrinha, e uma madrinha muito muito especial, que nunca me julgou ponto.
Uma madrinha que sempre me recebe com carinho e alegria tão dela, tão de boa!
O bacana é que quando eu a encontro parece que a gente se viu ontem mesmo, não há 1 ano ou 5 anos, uma madrinha que já passou por tantas armadilhas do destino... e continua ali, feliz, costurando, batendo perna, jogando conversa fora com as vizinhas, apostando na vida, dando aulas, cuidando de todo mundo, outro dia quando fui visita-la, ela estava na beira da pia, lavando, cortando, conversando... eu prestei bem atenção naquele quadro, enquanto ela fazia o bife enrolado de panela...tão prática, tão simples, botando a fofoca em dia, conversando sobre assuntos fortes de nossa família, abraçando uma neta que entrava, conversando com o "loro"  e lá, cozinhando o cotidiano, delícia de ver!
Eu ontem, enquanto eu seguia a receita dela, do pão de linguiça na forma de bolo (que cá pra nós, não é muito uma receita, é mais um modo de fazer...) ontem, eu segui feliz lembrando, rindo, sentindo, e agora, pensando bem eu ando tão parecida com essa minha madrinha querida!



3 comentários:

rosana sperotto disse...

É o tempo, ele que vai nos moldando à imagem de quem nos ajudou a ser quem somos... E é tão lindo isso. Beijo

Anônimo disse...

Ai que saudade!!!Véia,eu viajei com vc,saudades da minha que já se foi..mas a da minha filha tbém é tudo isso aí,é uma irmã de alma pra mim...
Isso tudo é tão bom,né não...
Bjs

Simone Bello

Erica disse...

Que felicidade eternizar esses momentos, que apenas os que vivem podem oferecer. Chorei de emoção. Um abraço.