enquanto isso no sertão de guimarães

O senhor entende, o que conto assim é resumo; pois, no estado do viver, as coisas vão enqueridas com muita astúcia: um dia é todo para a esperança, o seguinte para a desconsolação.

Somente com a alegria é que a gente realiza bem — mesmo até as tristes ações.

Natureza da gente não cabe em nenhuma certeza.

suave na nave

de boa na lagoa, tranquilo que nem grilo
é sábado, tô limpando o jardim, cuidando da casa, cuidando de mim, tricotando no mundo virtual, fazendo bolo, tramando um fio, a cabeça leve, o ❤ como bússula ♫
e a noite, eu vou aderir, vou ficar no escuro das 20h30 as 21h30 na hora do planeta, tô fazendo o o que gosto, tô fazendo o que eu posso.

tramas horizontais transversais verticais

gorgorão seda barbante
lã xadrez
algodão
cetim chiffón
renda
cânhamo
tafetá lamé tule
organza
lycra
pique
cânhamo
crepe georgette
cambraia
avesso flanelado
cashmere
veludo cotelê
chitão
chenile
linho
...
palavras que fazem cócegas no céu da boca

Olho aberto, papo reto, o peito como bússula.



Já que não estamos aqui só à passeio.
já que a vida enfim não é recreio.

Eu vou na bubuia, eu vou...

Flutuo, navegando sem tirar os pés do chão,
365 dias na missão...

Na bubuia eu vou...

Subo o rio no contra fluxo,
à margem da loucura,
na fé que a vida
após a morte continua.

eu vou na bubuia, eu vou...

Entoo uma toada em dia de noite escura,
na sequência, na cadência, na fissura...

Eu vou na bubuia, eu vou...

Eu vou suave, bebendo água na cuia.
Olho aberto, papo reto,
o peito como bússula.
Nenhum receio do lado negro da lua,
que me guia, na bubuia.

Eu vou na bubuia, eu vou...

O destino é o mar onde vou me desfazer,
contente a deslizar na correnteza do viver

Na bubuia eu vou...
Eu vou na bubuia, eu vou...

bananas


eram 5! todas elas amarelas
e numa cozinha de rainha, pra tudo se dá jeito!
a receita é bem simples quem ensinou foi D. Salete, senhora nativa e esperta!

1 xícara de farinha ( aquela que você mais gostar)
1 outra de aveia ( ou outro grão que você queira)
1 ovo e basta
a gordura que você achar melhor: manteiga ou óleo, ou outra coisa que se deseja, em quantidade pequena.
mel, açúcar ou melado?
uma chuva de canela
um punhado de fermento
sem batedeira,
com o forno pré-aquecido (médio)
cozido por 30 minutos e basta

eu fiz esse bolo 3 vezes, e todas as vezes mudei as quantidades de gordura, o tipo de farinha, e até suco de laranja botei! como e quanto, fica a gosto de cada um, acho que aqui o importante é que se aproveite tudo na cozinha.

passo a passo no tear

das coisas que me tocam...

Eu sei, sou repetitiva, insistente, e nada posso fazer.
Tem essas coisas que eu não esqueço, não posso e não quero deixar de sentir, de ouvir, de pensar...
tem certas coisas na minha vida, que vibram na minha alma, que arrepiam meu corpo, que acalmam minha mente, tocam meu coração e eu deixo, eu quero e preciso apenas...apenas...apenas...



Parte 1 e 2 aqui


...
(mas ainda assim, tudo é mais simples, são os olhos azuis dele, ou o violão gasto, ou a delicadeza com que eles se tratam, no fim o que me atrai é isso.)

A casa imaterial




"O importante não é a casa onde moramos. Mas onde em nós a casa mora."
Mia couto.



Há dias que esta frase do Mia Couto me ronda, e penso que...
Poucas são as pessoas que conseguem construir os alicerces interiores que nos permitem ter o "onde em nós a casa mora" podendo esta existir, onde bem quisermos
.
Para mim, o mais difícil é levanta-la dentro de nós, dar-lhe espaço carinhoso o suficiente, e arranjar aí nesse imaginário interior, um lugar para nos edificarmos com ela, ela dentro de nós e nos dela.
Esta minha casa que é imaterial e terna, foi aos poucos que a contrui, e poucos possuem a chave.

nós
dentro
A chave
exitir
A casa
suficiente
onde?
para poucos
imaterial

existir

dentro
dentro
dentro

eu penso

Nem sempre meu mundo foi tão mini


Dias de frio na barriga,
dias que antencedem um salto maior, que precedem mudanças na rota.
Aprender a controlar um pouco da doida ansiedade
, por esses dias meus amigos, poucas linhas e muita fé.

meu cérebro é do tamanho de um grão de bico


micro e macro tudo que está fora está dentro forma e conteúdo
proporções construções desafios de um grão

raspas e restos me interessam!



além da terapia...
tem as encomendas, tem o momento reciclagem, a criação de novas peças, ideias e inspirações que surgem de conversas tão soltas quanto os fios...
aqui, sobrou urdume que não dá para desperdiçar (palha de seda natural!) junte isso a outro tanto de sobras que estão esperando num canto qualquer da oficina e...
o que será? será!