apenas uma foto desfocada





Por necessidade maior mudei a energia da oficina, e enquanto limpava resolvi batiza-la:
Ana Margarida, agora esse é o nome da oficina onde a Véia da Teia passa suas horas.







E agora que o tapete não sai mais do lugar

que nenhuma "bolinha" de meada de fio fica rolando pra lá e pra cá
agora que não tem areia por todos os lados
e o sofá cama fica intacto o dia inteiro
agora que a almofada não vai parar mais no chão
e que os sacos de lã não servem mais de travesseiro
agora que tudo está assim tão quieto
agora me dá um aperto no coração
agora é a ausência dele que se faz mais presente

e agora é assim,
que dentro de mim tudo está fora do lugar
e fora de mim tudo é organizado, limpo,

mas olhando de dentro pra fora
tudo sem cor
e de fora pra dentro
tudo sem graça



tempo tempo tempo

5 comentários:

Ita Andrade disse...

Que te passa rapariga? licença poética apenas né?...
O atelier ficou lindo, se eu tivesse asas iria aí prum dedinho de prosa e um abraço dos meus

erica disse...

Olá, visito seu blog há algum tempo, gosto muito, é tranquilo e interessante. Um abraço.

Da Cor da Flor disse...

Amei o nomeeeeeeee...LINDO

Vanessa Maurer disse...

Ai lamento tanto por isso Verinha... faço uma relez idéia das saudades que tu e o Véio irão sentir dele...

Véia da Teia disse...

num é Vãn? mãe de cachorro é mãe também! foi muito amor...

Ita amada! foi-se nosso personal- caminhadas paracolher flores

Da cor da Flor, que posso eu te dizer, tu com esse blog, com esse nome, com aquelas carinhas sorridentes!e os livros? os poemas? mulher de sorte!