mini mundo



ah, mas tem os outros dias...
em que a paciência é uma mãe de braços abertos,
de fala doce, coração forte, de uma voz mansa falando das cores,
das flores que a gente pode espalhar por ai...

mini contos mini medos

(véia, véio, peludo amado e maíra de olho na gente)



cansada com dor nas costas

de saco cheio de tu-do!
com aquela sensação chaaata de que nadei nadei e morri na praia
tudo isso assim? tendo que engolir no seco e sem poder culpar ninguém?

...
c estuda a vida toda, trabalha sem reclamar, faz yoga, quase num fala mal dos vizinhos, c acha boa gente, pratica meditação 2 vezes por semana a anos, recicla o lixo, gosta de bicho e da natureza, mata o monstro da pia todo dia e nem fica
ruminando que além de cozinhar tem que lavar também...
não devolve chatice
faz isso entre tantas outras coisas
pra vida ser mais leve
mais legal
mas tem dias
e noites também
que nenhum truque suaviza
nenhum truque ameniza

Ps.odeio quando minhas mágicas falham.

...

chocolate engorda mesmo?
a gente envelhece e encolhe?
cachorros velhos viram sabão?

....

agora que está escuro lá fora
e as vozes dentro da minha cabeça acalmam
agora
eu
fito
a lua


Nada Garantido



já experimentou?
solto
livre
aqui
e
agora


nenhuma expectativa
nenhum desejo
nenhuma vontade
nem ansiedades

nenhuma solicitacão
nenhum retorno

uma tranquilidade
uma mesmice morna

acalmou?

sem a resposta pronta
sem o dedo em riste

nem doce
dose
ou
toque...

insignificância

ser inútil
para nada
ou
ninguém


desde o início
ao meio
e
fim

e ainda assim
nada é garantido




apenas uma foto desfocada





Por necessidade maior mudei a energia da oficina, e enquanto limpava resolvi batiza-la:
Ana Margarida, agora esse é o nome da oficina onde a Véia da Teia passa suas horas.







E agora que o tapete não sai mais do lugar

que nenhuma "bolinha" de meada de fio fica rolando pra lá e pra cá
agora que não tem areia por todos os lados
e o sofá cama fica intacto o dia inteiro
agora que a almofada não vai parar mais no chão
e que os sacos de lã não servem mais de travesseiro
agora que tudo está assim tão quieto
agora me dá um aperto no coração
agora é a ausência dele que se faz mais presente

e agora é assim,
que dentro de mim tudo está fora do lugar
e fora de mim tudo é organizado, limpo,

mas olhando de dentro pra fora
tudo sem cor
e de fora pra dentro
tudo sem graça



tempo tempo tempo

o meu canto de paz


depois que eu entro aqui com a bandeja na mão o livro na outra,
ajusto o equilibrio da luz a velocidade do ventilador em 1
o controle do dvd ao alcance da mão
depois que eu desligo do resto da casa
não quero mais saber quem era ao telefone
se respondi ou não aquele email
se o cachorro foi pra casinha
se ficou louça na pia
se a luz da oficina tá apagada
se a luz do quintal tá acesa
se a gata tem água
se...se...se...
nada disso,
batente da porta pra dentro e eu quero paz...
quero o silêncio de mim mesma
o livro lido em pequenas doses entre uma mordida e outra de um pão com qualquer coisa
uma sorvida de líquido,
uma preguiça boa de botar os pés pra cima, afofar os travesseiros
uma fresta na janela pra poder ouvir os sapos e os grilos lá fora
pra ver a lua chegando e enxergar um pedaço de céu azul marinho com estrelas
nessas horinhas de descuido eu percebo que a paz no mundo
é possível sim, ao menos no meu mundo
e se eu estou em paz
todo o resto estará
fecho os olhos lentamente e agradeço tudinho
adormeço com um sorriso nos lábios
e um sentimento de enorme gratidão pela vida

Brownie delícia que o véio faz

1/2 xicara de farinha

1 colher de cha de fermento em po

1/4 colher de cha de sal

2 barras de chocolate

1/4 xicara manteiga ou margarina

1 xicara de acucar

2 ovos

1/2 colher de cha de baunilha

1/2 xicara de nozes picadas

1. Peneire a farinha, o fermento e o sal.

2. Derreta o chocolate e a manteiga em banho maria.

3. Adicione o acucar, ovos e baunilha e bata bem.

4. Acrescente a farinha e o fermento e o sal.

5. Acrescente as nozes.

6. Despeje a mistura em assadeira e asse em forno medio.


coisas de orkut e tubaína


Esse garoto encarando a polaroid foi meu primeiro amor, nesta fota ele tinha uns 13 anos mais ou menos, eu era então uma pirralha (assim dizia ele) de uns 6 anos
foi quando eu cresci (14 anos!!!) e nos encontramos de novo e tudo ficou legal ;)

Arrepio,
coração batendo forte
lágrimas, muitas risadas
,
encontros as escondidas,
viagens, fugas malucas
cumplicidade, tesão
tristeza profunda, ciúmes

doçura e encantamento,
coração despedaçado,
diários secretos,
ah...a paixão dos 14 anos,
o brilho no olho
a pele
o sorriso tímido e cativador
o medo
a enorme felicidade
o céu tinha mais estrelas?
o sol brilhava mais?
a mão na mão
o primeiro beijo
o segundo terceiro quarto
as músicas...

Titãs...

♬ Sonífera Ilha!
Descansa os meus olhos
Sossega minha boca
Me enche de luz...♬

a gente ouvia Lulu...


Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa, tudo sempre passará
A vida vem em ondas como o mar

a gente ouvia Ritchie...

Menina Veneno
Você tem um jeito sereno de ser
E toda noite no meu quarto
Vem me entorpecer, me entorpecer

14 anos, 15, 16, 17,
teve outros garotos, mas sempre ele entre todos.
Foi uma paixão doida boa e inocente, que durou até os 18 anos e fim.





toca raul


Eu sou um pacifista trabalho pela paz, e por um mundo melhor.

Trabalho contra os caretas do mundo, contra o torpor, a imprecação, contra a arapuca que nos foi armada e durante séculos vivemos conformados, presos nela comendo o alpiste que nos dão. E o pior é que os que prepararam a arapuca também caíram nela, comem do mesmo alpiste e não sabem disso.

Trabalho para sair da arapuca com todos os que estão querendo ser pássaros livres outra vez. Os que estão cegos ficarão soterrados dentro dela quando ela desabar.

Sou um pacifista, a mando de forças exteriores.

Pensando que estão por cima, os imbecis vivem dentro do mesmo esquema: a neurose, a preocupação criminosa e doentia de manter-nos a todos dentro da armadilha.
Mas é preciso sair dela de qualquer maneira, é a única salvação ou seremos eternos pássaros tristes, presos numa arapuca com alpiste racionado.

Eu quero ver o mundo do cume alto de uma montanha!!

era uma vez...

duas pulguinhas
que passaram a vida toda economizando
e compraram um cachorro só pra elas...

mario quintana