A beleza da imperfeição

Wabi Sabi é uma expressão japonesa usada para definir a harmonia visual que existe na imperfeição. Olhar e tentar observar tudo com simplicidade, naturalidade, e atenção à realidade que está a nossa volta. Acredito que seja por isso que gosto tanto dos engenhos que moram no Instituto Boi Mamão, o engenho da Rô. Esses engenhos tem essa alma, essa beleza natural e orgânica, reparou na delicadeza espontânea das orquídeas que nascem em cima do telhado? na beleza desigual das madeiras que cercam o engenho? esse é um portal, e enquanto nos sentamos embaixo do jambolão, a tarde segue entre papos e desafios, um pequeno mundo Wabi Sabi, um retiro no meio da multidão.

Conta a lenda que Wabi Sabi surgiu assim:
Em uma linda noite, um dos maiores mestres da cerimônia do chá no Japão, Takeno Joo, recebeu em seu mosteiro um jovem chamado Sen no Rikyu, que bateu à sua porta querendo aprender os complicados rituais da cerimônia.

Takeno abrigou o rapaz e pediu que, no dia seguinte pela manhã bem cedo, antes das orações, ele varresse o jardim externo do mosteiro, que era todo circundado de Momijis e cerejeiras em flor.

Pela manhã Rikyu, começou feliz seu trabalho e, ao final de algumas horas, o jardim estava completamente limpo e sem folhas. Olhou mais uma vez e, antes de chamar o seu mestre, checou cada centímetro de areia e pedras para ver se estavam completamente limpas.

Sen Rikyu se dirigiu para uma árvore central do jardim e sacudiu um de seus galhos e algumas flores caíram no areia e nas pedras do jardim. Ele retornou e falou para seu mestre que, agora sim, estava tudo em harmonia. O mestre Takeono sorriu e, daquele dia em diante, Sen Rikyu se tornou um dos seus melhores alunos do mosteiro e se tornaria, com o tempo, um dos maiores e mais revolucionários mestres da cerimônia do chá no Japão.

a sabedoria budista nos ensina que:

"Todas as coisas são impermanentes, todas as coisas são imperfeitas, todas as coisas são incompletas”.

"a ação humana sobre o mundo deve ser tão delicada que não impeça a verdadeira natureza das coisas de se revelar. E a natureza das coisas é percorrer seu ciclo de nascimento, deslumbramento e morte. Efêmeras e frágeis."

...

Eu estou cercada de Wabi Sabi, essa imperfeição natural da vida, que vejo nas pessoas nas coisas do meu mundo, as pessoas desajeitadas com personalidades cativantes, essa coisa despretenciosa de viver, o jeito verdadeiro de cada pessoa ser, e que só aparece quando ela está distraída, quando está fora do jogo do ego, acho que é por isso que adoro o cotidiano das relações, viver junto comove, distrai, irrita, cura, eleva...

Aceitar as falhas com graça e naturalidade é um aprendizado. Faz tanto tempo que abandonei o desejo de acertar, de controlar tudo, que transformava meu mundo num verdadeiro caos.

Ao mesmo tempo não posso perder o fio da meada, não posso soltar o fio que me liga ao todo, apenas tento mantê-lo esticado e sem tensão.

Todo fio tem uma emenda, aceitar a emenda e assumi-la como natural é Wabi Sabi.


O arrumado com o dessarumado que se mistura e vive em harmonia


3 comentários:

Pat Anzanello disse...

Adorei!

angela disse...

lindo!!!!Sabias palavras!!!!

Regiane disse...

Oie!
Adoro este conceito do Wabi sabi....
Também escrevi sobre isto,linkando com a decoração de interiores.
Tudo de bom!
Beijos
Regiane