era uma vez uma segunda cinza

que começou querendo me deixar gripada, mal humorada e louca logo de cara! nada de ir a lugar algum, tudo que estava programado desprogramou-se.
Faz chuva, frio, e muito vento e essa segunda cinza e molhada que me tira o dia prático, a agenda, o compromisso. A moto não me leva a lugar algum, o frio gela o pé, a mão só a caneca de chá esquenta.
Entrega.
Juntei todas as cores, pequenos pedaços de pano, um máquina teimosa, bati a porta na cara do dia, e deu-se:


2 comentários:

Anônimo disse...

Recebi seu abraço via Angela, muito obrigada por querer-me um bem assim
Vou tambem ficar sozinha por uns dias e pretendo bater um longo papo contigo
Inté
Beijo da Ita

Véia da Teia disse...

lindona descanse, depois dessa maratona toda! e tu sabe né? pra gente o tempo é só uma palavra.