meu trevo de 4 folhas.

Eram só duas mudinhas, mirradas, murchas até, que eu tinha encontrado num vaso abandonado. Trouxe pra casa, assim, no colo, com o maior cuidado e carinho, como quem carrega um gatinho abandonado, um filhote de algum bicho largado a própria vida ou morte.


E cheguei em casa achando que aquele era meu dia de sorte! afinal achar um trevo de 4 folhas já era raro e bacana, mas daí a encontrar dois!

Plantei. Tentando dar a eles uma sobrevida.
Podia ter colocado no meio do livro, na carteira, esperado secar e feito um quadrinho qualquer, mas, resolvi dar a eles terra e um tico d'água (sorte então a deles) e foi o que bastou!

Agora estão lá, feliz, verdes! com as 4 folhas abertas para o mundo!
e, dominando o pouco de horta que tenho.

Já penso que é interessante distribui-los pela vizinhança, fazer vasinhos com as mudas e presentear, botar na salada, bater com couve hortelã e gengibre, botar no livro, na carteira, na bolsa, atrás da orelha, fazer quadrinhos, quadros, paredes até com os tais sortudos.

Mas nunca, jamais, em momento algum, admitirei que eles são uma praga na minha horta! isso é que não!
Arrisco-me dizer que são, um punhado de sorte todas juntas num único canto!
ó, que coisa linda!?


3 comentários:

Vanessa Maurer disse...

Nossa! É muita boa sorte mesmo! Eu quero mudinha!

Mauricio Musa disse...

Não é praga... Digamos que sua horta corre o risco de ser sufocada de tanta sorte. Esse tipo de sorte se prolifera que é uma beleza...rs :p

Rodrigo Grecco disse...

Gostei demais!