Haia Lispector

é tão bão, tão rápido...
eu ficaria a tarde
toda e noite adentro trocando, lendo, falando, ouvindo, assistindo, sorvendo chá e cultura, descobrindo a vida e a obra dessa intrigante, rabugenta, amada, brilhante, mulher-escritora.

Você sabia que o nome dela era Haia e que ela era ucraniana? que aos nove anos, depois de uma ida ao teatro que a deixou inspirada, ela escreve "pobre menina rica" peças em três atos
(originais perdidos)? sabia não? oxê... que ela achava-se um mistério até para si mesma?

e se por acaso você tiver mais interesse sobre, segue:
bio de clarice lispector,
tecle, clarice lispector e assista os curtas dela aqui
ou ainda leia




e a tua comida qual é?

O blog come-se vai fundo quando apresenta receitas de todos os lugares. Comida honesta, simples, diferente, esquisita, intrigante, sabor amargo, doce, sabor de sei-lá-do-que, a dona do blog é nutricionista e consultora, escreve deliciosamente sobre a beleza, a simplicidade a curiosidade do alimento, são palavras dela:

"Gosto de comer e de cozinhar, mais ainda de saber o que estou comendo, de onde vem, como é cultivado, como é feito. E, sempre que possível, eu mesma faço, eu mesma planto. De turu do Marajó ao huitlacoche mexicano, tudo aqui é possível, não interessa se tem ou não no supermercao. Basta que eu tenha comido, desejado, rejeitado. Pelo menos divido com alguns leitores minguados interessados. Só não esperem regularidade nos posts, já que sou adepta do viverlentamente"

Por morar na região e já ter provado todos os pratos, eu indico ir direto a este post e dar uma assuntada no que tem de bom na culinária de floripa e região.

Depois olhe as fotos, " leia cada alimento", e pessoas e lugares que ela conhece, você pode se surpreender e desejar em sua cozinha um alimento mais saúdavel. A descoberta de um novo paladar, um aroma e um sabor diferente é muito agradável, a surpresa na boca faz a gente ficar feliz, comida e alegria andam juntas e tempo também, faça dele seu aliado nestes momentos, coma de-va-gar.
Essas são as viagens que faço, virtuais ou não... a garfada-honesta é o que me faz a cabeça.

meu trevo de 4 folhas.

Eram só duas mudinhas, mirradas, murchas até, que eu tinha encontrado num vaso abandonado. Trouxe pra casa, assim, no colo, com o maior cuidado e carinho, como quem carrega um gatinho abandonado, um filhote de algum bicho largado a própria vida ou morte.


E cheguei em casa achando que aquele era meu dia de sorte! afinal achar um trevo de 4 folhas já era raro e bacana, mas daí a encontrar dois!

Plantei. Tentando dar a eles uma sobrevida.
Podia ter colocado no meio do livro, na carteira, esperado secar e feito um quadrinho qualquer, mas, resolvi dar a eles terra e um tico d'água (sorte então a deles) e foi o que bastou!

Agora estão lá, feliz, verdes! com as 4 folhas abertas para o mundo!
e, dominando o pouco de horta que tenho.

Já penso que é interessante distribui-los pela vizinhança, fazer vasinhos com as mudas e presentear, botar na salada, bater com couve hortelã e gengibre, botar no livro, na carteira, na bolsa, atrás da orelha, fazer quadrinhos, quadros, paredes até com os tais sortudos.

Mas nunca, jamais, em momento algum, admitirei que eles são uma praga na minha horta! isso é que não!
Arrisco-me dizer que são, um punhado de sorte todas juntas num único canto!
ó, que coisa linda!?


é na segunda,

que tudo se realinha aqui em casa,
dia de alimento sem gordura, de tomar chá, e bastante água, e quem sabe um cálice de vinho a noite...
e pq é inverno, e a gente coloca um tequinho de gengibre e canela em quase tudo que é de comer e beber, hoje fiz um belo e gostoso cozido de legumes, cabem nele: mandioca, espiga de milho, tomate, berinjela, pimentão, páprica, inhame, cenoura, muitos fios de azeite, tico de sal, salsão, alho poró...é simples e honesta, é só cortar o que tiver na geladeira e botar pra cozinhar... sorrindo sempre...enquanto tudo isso cozinha a segunda rola...ó, fui!


Não entendo

Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender.
Entender é sempre limitado.
Mas não entender pode não ter fronteiras.
Sinto que sou muito mais completa quando não entendo.

Não entender, do modo como falo, é um dom.
Não entender, mas não como um simples de espírito.

O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida.

É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice.

Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco.
Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.


clarice lispector




música, calmante natural.

☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠

O rottweiler se atracou com Froide no passeio pela manhã e nada o fazia soltar!

Não é a primeira vez que isso acontece, e estou com muita raiva e assustada por conta disso, faz tempo que a gente vem avisando para o dono, que o cão dele nos ameaça, mas nada acontece, esse cara parece que não entende, ou não quer entender! agora vou ter que denúncia-lo a polícia.

O cão dele pula muro, portão, canil, e nos pega na via pública, a vítima de sempre é o nosso cachorro que sai todo machucado, mas agora nós estamos na mira do rottweiler, não posso mais andar na minha própria rua! eu não tenho nada contra raça alguma de cães, muitas vezes eles são vítimas! mas tenho tudo contra essa racinha de ser humano (?) que espera uma tragédia acontecer pra depois tomar qualquer atitude covarde, isso, quando toma uma atitude!

Tenho ganas de gente que expõe outras pessoas ao perigo, que mantém em isolamento um cachorro, pra solta-lo a noite e apenas para o fim de perseguir pessoas, bota logo um guarda-noturno, um segurança, uma pessoa preparada pra isso, e blé!

Ahhhhhhhhhhhhhhh! que coisa mais chata isso! que medo que eu passei! afê.
✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ✄ ♥

tarde preguiçosa porém criativa

querido diário,

sexta feira foi de frio por aqui, aquele frio gostoso de sair para a rua, tomar vinho quente e ver gente enrolada em cachecóis e ponchos, calçadas em botas e encabeçadas por toucas de lã.

eu e o véio fomos para o arraiá a pé, caminhamos entre praias e vielas, 1 km e meio pela noite estrelada, o som do mar, as ruas quietas, contando histórias, cantarolando gonzaga, rindo de nós e de outros, luvas entre os dedos, toucas nos cabelos.

caminhamos até o pé de serra e chegando lá, as janelas acesas com luzes tímidas e aconchegantes, fogueira num canto, um engenho aqui outro lá, um cenário quase bucólico.

logo que entrei ganhei um coração vermelho e uma caneca de caldo quente e assim eu fiquei.

bebericando uma cachaça, resfriando um vinho quente na caneca, ouvindo um som harmonioso de um trio-tranquilo-tocando-triângulo-sanfona-baião-forró, uma voz clara e gostosa, uma noite quase quieta, uma certa expectativa no ar...gente se olhando, sorrindo, chegando e indo.

dançamos dois pra cá e dois pra lá, mais uma pinga, um quentão...
enluvamos as mão em lãs,
ajeitamos as toucas
nos enrolamos em cachecóis

caminhamos de volta para casa
um pé depois o outro, um pé depois o outro
uma poesia
um cantarolar
uma lua espiando.

foi assim.

pro dia nascer feliz

Todo dia é dia
E tudo em nome do amor
Ah! Essa é a vida que eu quis
Procurando vaga
Uma hora aqui, a outra ali
No vai e vem dos teus quadris...

instrumentos de tortura feminino


tem namorado? marido, caso, ficante, amantes? pois então feriadão... dia dos namorados, romance no ar, e ai?
antes do prazer, uma rápida mas necessária sessão de tortura!

puxa, alisa, pica, corta, lixa, ui, ai, ui, essa doeu!

Quando não tiver mais nada
Nem chão, nem escada
Escudo ou espada
O seu coração
Acordará!...

Quando estiver com tudo
Lã, cetim, veludo
Espada e escudo
Sua consciência
Adormecerá!...

E acordará no mesmo lugar
Do ar até o arterial
No mesmo lar
No mesmo quintal
Da alma ao corpo material...

Quando não se têm mais nada
Não se perde nada
Escudo ou espada
Pode ser o que se for
Livre do temor..


Amor dará e receberá
Do ar, pulmão
Da lágrima, sal
Amor dará e receberá
Da luz, visão
Do tempo espiral...

Amor dará e receberá
Do braço, mão
Da boca, vogal
Amor dará e receberá
Da morte
O seu dia natal...

nando reis

tá tudo sobre controle no sábado a noite


cheguei e daqui ninguém me tira, eu não vou atender telefone, pode se esgoelar no portão, celular tá desligado, eu não quero mais sair de casa, botar a cara na rua, quero que o mundo meleca-se!
eu quero ficar!
ler
dormir
roncar
comer
zapiar
pipocar
vinhar
pantufar
acobertar
queijar
filmar
tudo aqui dentro do cafofo quente.

a véia e um véio vendo


"Que o nosso tempo seja lembrado pelo despertar de uma nova reverência face à vida, pelo compromisso firme de alcançar a sustentabilidade, a intensificação dos esforços pela justiça e pela paz e a alegre celebração da vida"


O CAMINHO ADIANTE

Como nunca antes na História, o destino comum nos conclama a buscar um novo começo. Tal renovação é a promessa destes princípios da Carta da Terra. Para cumprir esta promessa, temos que nos comprometer a adotar e promover os valores e objetivos da Carta.

Isto requer uma mudança na mente e no coração. Requer um novo sentido de interdependência global e de responsabilidade universal. Devemos desenvolver e aplicar com imaginação a visão de um modo de vida sustentável nos níveis local, nacional, regional e global. Nossa diversidade cultural é uma herança preciosa e diferentes culturas encontrarão suas próprias e distintas formas de realizar esta visão. Devemos aprofundar e expandir o diálogo global que gerou a Carta da Terra, porque temos muito que aprender a partir da busca conjunta em andamento por verdade e sabedoria.

A vida muitas vezes envolve tensões entre valores importantes. Isto pode significar escolhas difíceis. Entretanto, necessitamos encontrar caminhos para harmonizar a diversidade com a unidade, o exercício da liberdade com o bem comum, objetivos de curto prazo com metas de longo prazo. Todo indivíduo, família, organização e comunidade tem um papel vital a desempenhar. As artes, as ciências, as religiões, as instituições educativas, os meios de comunicação, as empresas, as organizações não-governamentais e os governos são todos chamados a oferecer uma liderança criativa. A parceria entre governo, sociedade civil e empresas é essencial para uma governabilidade efetiva.

Para construir uma comunidade global sustentável, as nações do mundo devem renovar seu compromisso com as Nações Unidas, cumprir com suas obrigações respeitando os acordos internacionais existentes e apoiar a implementação dos princípios da Carta da Terra com um instrumento internacionalmente legalizado e contratual sobre o ambiente e o desenvolvimento

a fonte http://www.cartadaterrabrasil.org/prt/text.html

ao vivo, direto da praia




pois então, ando com muito assunto e pouco tempo, e o frio? que deixa os dedos congelados, e a vontade de ficar no sol? e de tomar vinho o tempo todo, de queimar muita lenha, de falar pouco e ouvir muita música, trabalhar bastante, tô assim e tô adorando.
....Dia desses fui pra uma visita de campo na Epagri/Itajaí dia de campo de plantas bioativas, o projeto flora atlântica catarinense, o lugar tem tanto assunto pena que o projeto foi focado, eu ficaria por ali o dia todo! o Cetrei (centro de treinamento) oferece diversos cursos, e eu vou fazer alguns, dentro da área de nutracêutica - panificação. Pra quem vem de longe eles tem alojamentos, salas de acesso a internet, refeitório, só tem que se inscrever com tempo, então essa é dica direto da praia!

No mais, sábado agora dia 06/06 estamos lá no Instituto Kat Schurmann fazendo a nossa parte ( cabem duas críticas aqui, duas só não, várias), mas eu tô sem tempo!
o Instituto abre suas portas em dias muito específicos, tem muito espaço pra eventos, pra cursos, pra... e no entanto fica ocioso praticamente o ano todo, blá, blá, blá... vão participar tantos artesãos como artistas neste evento, e não há um só comentário sobre isso no convite, uma pena, pq. tem pessoas bem empenhadas pro dia, mas seguimos, ao vivo, direto da praia.

porto de cores num sábado cinza.

a dona do bonequiando sempre me mostra que é mais além...
hora me levando pro riso, num circo...
hora me jogando numa tarde fria e chuvosa num porto cheio de cores!
e eu? agradecida que sou, solto as amarras e navego!


Navegue você também até a história de Frida, aqui