ilustração e palavras...

passeio por blogs, tem coisa fina e delicada por esses mundos, afê! achei lindo, não achei triste não...


(ilustração de Fabio Dudas)

“Mas no final as coisas boas passam. Morrem. As coisas ruins também. Morre planta, morre bicho, morre vento, morre água. Morrem e voltam outros. Fica o que marca a gente. E a gente também morre, a cada dia. Acho que todo dia morro, e todo dia sou nascida. Entre a vida e a morte, a certeza do final até que me é boa: me dá esperança pra continuar e força pra viver o que quem eu amei não viveu. Deixar o mundo melhor pra quem vier, porque quem vier, assim como quem está aqui, pode não ter muito tempo pra aproveitar.”
Moedas de açúcar

3 comentários:

Talita Avila disse...

Ah essa tal de morte, de perda, de esperança, de renascimento...De tempo...Me perseguem e me guiam, todos os dias...

Adoro o blog...Bjs

a Véia da Teia disse...

Opa, bem vinda Flor! :)

Talita Avila disse...

Que bom ser bem recebida pela dona da casa...Essa casa que visito todos os dias...hehhe...bjs