Na soleira da porta, pensando na morte da bezerra ( como diz minha mãe)
sempre que estou com a caxola toda embaralhada, de "calundu", eu vou pra soleira da porta, e lá acocorada passo um tempo, até a cabeça e o coração ficarem mais leves.

2 comentários:

cris disse...

Não deve demorar muito pra caxola desembaralhar com esta vista...

Thomás Mota disse...

"Sentado na soleira de marfim quanto mais longe se olha mais longe se vê. Não é suficiente definir os termos, se nada é arriscado não se consegue nada"