decidido: neste mês comer muito peixe, que é saudável para o bolso, para o corpo!
mesmo morando entre mares, eu como pouco peixe, mas nem fiquei queimando os cachinhos da cachola pensando nos por ques, mesmo porque, cada  porquê cada um é usado de uma forma:
Por que: usado no começo de perguntas
Por quê: usado no meio ou no final de perguntas
Porque: usado no começo de respostas
Porquê:usado no meio ou no final de respostas
E no todo, todos são utilizados quando há dúvidas ou quando se tem muitas desculpas...
E hoje, agora, eu não tenho nenhuma das duas! e parti para as compras na peixaria da D. Senira feliz da vida, já pensando no peixe com leite de coco e com azeite de dendê, filés na manteiga com alcaparras, peixe assado na folha de bananeira, sardinha escabeche, já tô sentindo até o cheiro de coentro picado, salsinha fresca, alho....

tear de alto liço




cuidadosas peças saem do tear, tramas e urdumes sem pressa expostos ao vento, e ao meu crítico olhar...
Bombinhas, 19 de julho de 2008 - inverno


passeio nas praias em volta de casa, primeiro mariscal, depois atalaia, pausa pra tomar sol na pedra, e apreciar a paisagem! eu não me canso de gostar de tudo isso.
pouca roupa, poucas palavras, mente tranquila e corpo relax.

email para minha irmã

nesta minha cozinha hoje,  falta as crianças, tu, a mãe, os manos, as cunhadas e cunhados, o pai, os sobrinhos, os amigos. Faz falta em mim, no meu dia a dia, não fosse isso meu mundo seria perfeito demais!
Mas dizem que a gente tem que ter uma dose de dor, de saudade, de coisa desarrumada na vida, que é pra lembrar de sermos humildes, ter compaixão, e lembrar que na vida nada é perfeito!
Simplesmente a vida é um pouco do que queremos, com um pouco do que devia ser, com uma mistura dos anseios e sonhos e daquilo que nunca foi e nunca será, apesar dos quereres. A vida minha irmã é o imponderável, aquilo que talvez a gente nunca toque, acho que por isso ela é esse mistério, essa felicidade inalcançavel. A vida é isso que a gente sabe de nós e não sabe também, é esse eterno desenvolvimento, porque auto-conhecimento nem existe mesmo, a gente nunca vai se conhecer de verdade, a gente vai sempre se desenvolver a partir de uma nova descoberta, de um nova história. O importante é que  a gente seja inteiro em tudo! na dor, na alegria, seja integral, num tem certo ou errado, só existe aquilo que se é!
No fim tá tudo certo! vocês estão todos aqui! a barreira do visível e do invisível foi superada!


fios e oficina pra que te quero?



Terça- feira,
preparo os fios, posiciona o tear, e coloca o urdume, cenário pronto para começar a tecer, mas onde está a Véia?

Quando a casa é um lar de verdade



num tem nada mais gostoso do que ver a nossa cozinha organizada e limpa!
mas num tem coisa melhor no mundo do que ver ela assim, com movimento, aquela bagunça boa de todo mundo cozinhando junto, aquela confusão sadia, os aromas, as pitadas e pitecos de cada um.
Minha cozinha é orgânica,  e ainda não é a verdadeira cozinha, eu e o véio estamos construindo a casa e essa é a cozinha provisória, mas de qualquer forma ela é nossa querida cozinha! Ai que rola uns rangos, uma discussões, as danças com o pano de prato na mão, ou com o cabo de vassoura, as gargalhadas, ai que a gente fica horas em volta da mesa do café da manhã, é por aí que as pessoas que vem nos visitar passam, pra um café, uma caipirinha, um chá com bolo. Ela é assim, num tem microondas, máquina de fazer isso ou aquilo, é tudo na mão, no fogo à lenha ou no fogão de 4 bocas que as coisas rolam.
Ai que a gente mói o grãos do café, que a gente bate a vitamina, torra o pão na chapa de ferro, daí que a gente tira a vontade de ir pra vida!
Eu gosto muito desse meu canto desprovido de reboco e de tinta, mas cheio de calor sim senhor!

cores e faixas no crochet

faixas de crochet, vou junta-las em horizontal e vertical. costurar e fazer uma almofada.

nada de novo no fronte







Por esses dias eu assisti, o filme Juno, e curti muito, é o estilo de filme que gosto de ver, ele me lembrou muito aquele outro filme Pequena Miss Sunshine
Esses dois filmes me confirmam que é no do dia a dia, sem muito alarde ou coisa parecida que a vida acontece, no meio de uma família normal, cheia de problemas, com humor e assim sem muita paciência para o deslumbre, com uma doçura gostosa, mas sem a emotividade que estraga tudo, a vida vai acontecendo... claro que para que "coisas aconteçam" tem que ter uma ou duas figuras com algum propósito e intenção.
Não fui ao cinema ainda este ano ( é com certo pudor que confesso) mas loquei muitos filmes. O último que vi e não gostei foi, o O som do coração.
Meu olhar para filmes é mais ou menos por ai..

pra semana tem



grão de bico com cenouras e bacon
arroz integral
bife a rolê (braciola)
salada de tomate, alface e rúcula
pão caseiro, berinjela com azeite e alho
chocolate, vinho